cinquanta tons de cinzaQuando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seus próprios termos.

Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso – os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.

Título: Cinquenta Tons de Cinza
Autor(a): E.L.James
Série: Cinquenta Tons de Cinza #1

Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas: 480

O QUE ACHAMOS:

GÊNERO: Chili Pepper-96

RESENHA

Podem falar o que quiserem a respeito, mas essa série vai ter sempre um lugar especial no meu core <3. Sou apaixonada por 50 tons de cinza. Não pelas cenas picantes que E.L James descreve e nem pelas peculiaridades sexuais de Grey. Creio que seja pela forma como a tão “sem graça” Anastácia conquistou o bilionário, lindo, famoso e de coração tão duro.

Grey era um homem marcado pelo passado, cheio de traumas, físicos e psicológicos, quebrado por tantas perdas em sua vida, que não conseguia enxergar o lado doce de ninguém. E o pior de tudo era sua auto aversão e complexo de inferioridade. Sim, minha gente, Grey se acha inferior e indigno. Vê se pode?

Já Ana era uma garota bobinha, ingênua, focada apenas em estudos e carreira que mal tinha dado um beijo na boca, e não havia se interessado por ninguém ainda. Como se tivesse sido feita especialmente para o tão apaixonante e assustador Christian Grey.

Mas quis o acaso ou o destino que Ana fosse no lugar de Kate, sua melhor amiga, executar uma tarefa que não era sua, de entrevistar o famoso CEO das indústrias Grey, que ela nem ao menos sabia quem era, e aí boom… O cúpido resolveu colocar seu plano em ação e deixou que eles se apaixonassem.

Tão jovem, e atraente, muito atraente. Ele é alto, vestido em um fino terno cinza, camisa banca e gravata preta, com incontroláveis cabelos cor de cobre e intensos, luminosos olhos cinza claro que me observam astutamente. Leva um momento para eu encontrar minha voz.

Mas nem tudo foi um conto de fadas, e juro que quando eu li pela primeira vez esse livro (sim li 2 ou 3 vezes), e me deparei com aquele contrato enorme e cheio de regras absurdas onde envolviam até o modo que a coitada tinha que se depilar, eu ri. Mas aquele cretino me conquistou do mesmo modo que conquistou a Ana.

Eu amei o modo como pouco a pouco e despretensiosamente Ana alcançou o coração tão quebrado de Grey. E quão corajosa ela foi de embarcar mesmo virgem nas loucuras que envolviam sexo nada convencional, ou como aprendemos aqui… baunilha e contratos sexuais, amarras, vendas, açoites e até chicotes.

Pra mim, o mais especial é o romance que há por trás de todas as cenas mais bizarras e até as mais quentes. Por falar em cenas quentes, não dá para não se apaixonar por um amante como Christian Grey, atencioso em todos os níveis, mesmo nas piores ocasiões, ele sempre se preocupa com os desejos e a satisfação de Ana. Quem dera se todos os homens fossem como ele….ai ai.

Fora todos os 50 tons de Grey, ele é um homem doce, que só quer amar e ser amado, na mesma proporção. Preocupado, zeloso e muito carinhoso.

Parte do meu papel é cuidar das suas necessidades. Você disse que queria que eu ficasse, portanto, estou aqui. (Christian Grey).

Além da minha paixão pela história, senti uma grande intimidade com Ana. O livro retrata os pensamentos da jovem, de forma tão simples, apaixonada e adolescente que fui capaz de sentir cada angustia e cada nova experiência que ela viveu. Com isso me senti um personagem observador, chorava quando algo triste acontecia e nas cenas de sexo….. sem comentários. Kkkkk

Acredito que 50 tons de cinza foi um verdadeiro divisor de águas, depois desse livro o gênero erótico ganhou as prateleiras e vários outros Autores passaram a escrever livros hots sem qualquer cerimonia. Para nossa alegria, claro.

Christian foi meu primeiro Crush literário. Quando terminei a série senti um vazio enorme, me senti de luto. Foi aí que resolvi ler novamente. E agora escrevendo essa resenha estou tentada em ler de novo. kkkk

Apaixonada por romances, odeio mortes e finais tristes. Sofro, choro, amo e odeio os personagens com toda minha alma. Sou uma Piriguete literária…

Posts Relacionados

PORQUE EU AMO CINQUENTA TONS DE CINZA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *