MENTIRA_PERFEITA_Com “Mentira Perfeita”, Carina Rissi prova mais uma vez que o seu forte é contar boas histórias, com ritmo acelerado e repletas de paixão, humor e reviravoltas. Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa — qualquer coisa mesmo! — por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre… E então o milagre acontece: Berenice se recupera — e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente… “Mentira Perfeita” é um spin-off de Procura-se um marido, uma história que se passa no mesmo universo da primeira. Aqui você vai conhecer novos personagens inesquecíveis, além de rever aqueles que já moram no seu coração.

Título: Mentira Perfeita
Autor(a): Carina Rissi
Série: (spin-off) Procura-se um Marido

Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 462

O QUE ACHAMOS:

PAULA:  

GÊNERO: 

VIVI:

RESENHAS

BY PAULA

Primeiramente o que dizer de Carina Rissi…ficaria muito feio e infantil se eu dissesse que sou fã. Eu sei ficaria, sou uma menina crescida e não posso ficar tietando autores, então retiro o que eu disse.

Júlia é uma garota incrível, extremamente talentosa, que não descobriu ainda o quão incrível é (esse detalhe comentarei depois). Dona de uma beleza natural, muito inteligente, amorosa e com uma vocação muito forte para ajudar as pessoas, do tipo abrir mão de tudo, ou mesmo deixar de fazer suas própria necessidades para ajudar alguém. Competitiva, muito competente, dedicada ao trabalho e a família, porém sem vida social ou amorosa.

Deixarei aqui, mais uma vez minha critica. Por que raios os Autores ainda escrevem mocinhas que são alheias a sua beleza, isso está ficando muito irritante. Queridos Autores, vamos escrever mulheres fortes, lindas, e muito muito certas do que são e querem. Pronto falei.

Marcus…..bom, ele é um Cassani, isso já resumi algumas de suas características. Lindo de morrer, sedutor, charmoso. Vocês lembram dele em procura-se um marido? O Irmão do Max. Marcus não está no seu melhor momento, após sofrer um acidente ele fica numa cadeira de rodas lutando com todas as suas forças para voltar a andar. Ele ainda nutre uma esperança de sair da cadeira de rodas, encontrando aí a motivação para continuar vivendo.

Ele não era apenas bonito. Era lindo, de um jeito tão irritantemente perfeito que cheguei a me perguntar se era de verdade ou se eu havia fabricado um dos heróis dos romances de tia Berê.

Assim como no primeiro livro, os protagonistas se envolvem numa grande confusão. A tia de Júlia está muito doente e depende de um transplante para viver, com o objetivo de animar a tia, que tem medo da sobrinha não ter ninguém quando ela morrer, Jùlia inventa que tem um namorado e que esta apaixonada. Obvio que tia Berê, uma romântica incurável, com tal informação fica boazinha na hora, e imediatamente pega todas as suas economias e contrata o casamento dos sonhos para Julia. Detalhe, não tem casamento, porque não existe sequer um namorado, mas Júlia não pode dizer isso a tia Berê, para não prejudicar sua saúde.

a) me casar com um manequim de loja. (se uma maluca pôde se casar com o totem do Robert Pattinson em Las Vegas, eu poderia muito bem casar com um manequim).
b) contar que eu menti. (mas não era de fato uma alternativa. Não se eu quisesse manter tia Berenice viva).
c) tá, eu hão tinha mais nada.
Era isso. O manequim ia ter que servir.

Então ao conhecer Marcus que também passa por alguns probleminhas, surge daí uma proposta maluca.

Eu gostei do livro. Os personagens são incríveis, ri muito inclusive em lugares públicos, chorei (essa parte é segredo) fiquei irritada e como sempre muito triste que acabou. Resultado uma baita ressaca literária.

Nunca houve mais ninguém pra mim. Apenas você. O que tem aqui dentro é seu. (colocou a mão sobre o peito). E vai continuar sendo, não importa para onde você vá. (Marcus)

Não posso esquecer de falar da tia Berê. Eu queria ela pra mim. A mulher é doida de pedra. Me fez rir muito, com seu jeitinho meigo, fala mansa e intensa, sua paixão por filmes e livros de romance antigos. Quem não iria querer uma tia / mãe dessa?

P.S. eu passei vergonha de tanto rir com a Jùlia em negação. Ela sentia tudo, conseguia descrever o homem em todos os seus detalhes, mas mesmo assim negava que era atraída por marcus. Me diverti de verdade.

Eu havia detestado beijá-lo. Ficou muito claro que não mexeu comigo. Nem um pouco. Qualquer um podia perceber isso. Sentir aqueles lábios macios e quentes sobre os meus não despertara a mais remota faísca em mim. E aquelas mãos ridiculamente fortes tocando minha pele? Não senti absolutamente nada. Nothing. Nickts! (Júlia)

hahahahaha.

Além de ter me emocionado muito com a amizade e o amor existente entre Berê e Julia. Ponto positivo para a Autora que abordou a adoção de forma tão segura e cheia de amor. O relacionamento das duas é realmente o ponto alto do livro. Me desculpe Julia, mas se você piscar roubo a Berê pra mim.

Ponto negativo para as raras aparições de Max e Alicia, esperava vê-los mais, até porque Alicia é muito engraçada, seria uma inclusão muito bem vinda, teria rendido mais e mais risadas.

Minha nossa, se eu tivesse uma vizinha fofoqueira e intrometida como tem a Julia, juro que teria surtado mil vezes.

Adorei o fato de que os personagens são altamente reais. Nada de CEO multimilionário macho alfa, nem atleta celebridade ou astro do Rock, também não se trata de uma princesa da Disney, ou uma virgem imaculada, ou uma pobre garota desamparada. Nada disso, Júlia e Marcus são reais, com problemas, inseguranças, medos, traumas e com muita esperança. Me apaixonei por eles.

Assim como os outros livros da Carina, a leitura e bem leve, sua escrita é simples, os diálogos curtos e de fácil interpretação, mas Mentira Perfeita, trouxe algumas inovações as marcas registradas da Autora, nesse livro temos  temas muito  mais realistas, além do que tivemos umas pitadas de drama, o que contrasta com os livros anteriores, mas nesse se faz presente, e foi muito bem vindo.

Pode falar que eu implico com tudo, mas francamente aquele final foi muito mal elaborado. Me decepcionei um pouco com o drama de desfecho, não havia necessidade o livro estava incrível sem certa abordagem criminal. Honestamente não entendi a inclusão, afinal violência não é um tema abordado pela Autora. Adoro inovações, mas essa não caiu bem.

Mas…..Marcus compensa tudo e apaga o que não deu certo. Ele é sensacional e a forma que sua deficiência é abordada é tão leve que por vezes nem lembrava dos dramas que ele enfrentava. Marcus eu te amo.

Até os mais fortes têm seus momentos de fragilidade. Ninguém aguenta bancar o durão a vida inteira. È preciso se entregar à fraqueza de vez em quando, para poder conhecer o tamanho da sua força. (Marcus)

Que DNA é esse dos Cassani? Pena que os irmãos já estão comprometidos. Pára tudoooooo sobrou um, Nicolas. Mulherada preparem-se que o bofe ainda está solteiro. Hahahaha.

Esperava mais emoção, muito embora o livro toque em temas bem polêmicos e sensíveis, não fiquei muito tocada ou sensibilizada, talvez somente talvez seja o jeito divertido da Autora contar um conto.

Carina Marcus existe??? Me conta por favorrrrrrr

Se recomendo. SIMMMMMM

BY VIVI

Vou começar essa resenha pedindo desculpas, acredito que até o final terei que pedir muito mais, mas essa primeira deve-se ao tempo para fazer essa resenha que será a nossa primeira Dose Dupla, mas é que a leitura demorou muito mais do que eu imaginava, ler livro físico me entedia, não rende, estou acostumada/mal com e-books, mas enfim… vamos começar a resenha.

NOTA: Vou aproveitar que será uma Dose Dupla para ser mais racional e direta, pois sei que a Paula vai focar nos sentimentos do livro, no lado lúdico e romântico… confesso que essa parte não foi o que me chamou a atenção. Deixando claro que só lemos a resenha da outra quando já estava pronto para publicação.

E lá vamos nós…

Na minha opinião a história é um clichê muito básico…. duas pessoas que se encontram em uma situação complicada e resolvem fingir um relacionamento para solucionar seus problemas. Incialmente não se toleram, mas com a convivência acabam se apaixonando. Ao decorrer da trama um faz uma coisa bem idiota pois não se acha digno da outra pessoa e depois se arrepende do que fez e corre atrás do prejuízo….

Sim, se você tem mais de 30 ou 35 anos vai ter lembrado de um filme da Sessão da Tarde chamado Namorada de Aluguel… a história é bem parecida… mas com as personalidades invertidas, onde tínhamos o Ronald Miller como nerd, temos a Júlia e a popular e sexy Cindy Mancini traz jus ao Marcus…

Se bem que não é nada mal pensar no Patrick Dempsey como Marcus….

screen03

Então porque eu li esse livro se a história é tão comum?

Eu confesso que li por causa da Autora, eu adorei todos os outros livros da Carina Rissi, sempre me diverti ao ler eles e adorava a escrita e suas sacadas, mas infelizmente terei que escrever no passado mesmo.

Eu realmente me decepcionei com esse livro.

Acredito que ela quis abordar temas bem polêmicos e complicados de uma maneira leve e divertida, mas, na minha opinião, não foi o que ocorreu. Só consegui ver estereótipos por todos os lados… com exceção do mocinho, ele, é o que salvou toda a história.

O Marcus, como já sabíamos no livro Procura-se um marido, sofreu um acidente de moto e ficou numa cadeira de rodas, então teremos um mocinho que irá nos mostrar durante o livro todo com é a vida de uma pessoa cadeirante…

Confesso que em alguns trechos fiquei muito na dúvida se aquele comportamento ou ação seria realmente possível para um cadeirante, juro que não é preconceito, é clichê total isso, eu sei, mas, estou falando de fisicamente ser possível, anatomicamente mesmo… como sou ignorante nesse assunto acredito que a Carina sabe o que escreve, mas ficou bem estranho, parecendo mais fantasioso que realista.

Ele é um cara apaixonante, divertido, sexy, independente, sarcástico, bem-humorado e que merecia uma mulher muito melhor do que a Julia.

Ela é um estereótipo clássico que me irrita bastante, talvez seja porque eu sei que ele é muito ultrapassado, a da imagem de que mulheres “nerds” não sabem interagir socialmente, que não tem vida social, não sabem perceber ou fazer uma piada, não sabem quando estão sendo paqueradas ou não conhecem a reação sentimental ou sexual do seu corpo.

A Júlia é assim, uma excelente profissional da TI mas, fracassa no quesito “viver em sociedade”.

Fiquei decepcionada com ela, achei ela fraca, lerda e sem noção. A devoção dela com a sua tia é extrema, exagerada, mas é o que dá a razão para o enredo do livro.

Não consigo contar quais são os outros temas polêmicos tratados no livro sem fazer spoiler, mas confesso que não gostei. Como todo livro, além do tema central, temos que ter outras histórias paralelas para dar embasamento e engrossar o caldo do livro, mas em “Mentira Perfeita”, achei que as escolhas bem ruins. Em um desses subtemas eu esperava mais, muito mais, poderia ter dado um plus para a história, mas me deixou mais irritada e decepcionada com o livro.

FALA SÉRIO, tive a sensação de que forçaram a autora a abordar todos os temas polêmicos e que chamam a atenção da sociedade à causa, e ela fez isso independente do resultado, coerência e adaptação à sua obra e ao seu estilo, como se tivesse jogado eles lá… realmente não gostei.

Eu sei que era para ser uma resenha sobre o livro, falar os pontos principais e polêmicos do romance, mas não deu para fazer, fiquei decepcionada com esse livro. A história clichê sem o humor e leveza característica da escrita da Carina Rissi.

Acho que agora vocês sabem porque deixo as resenhas para a Paula e fico com a parte técnica do nosso blog, rs

Se recomendo, NÃO, mas leia os outros livros da Carina, são melhores.

Romântica por natureza, choro, sofro e vivo as histórias e estou com uma vontade imensa de compartilhar essas emoções.

Posts Relacionados

MENTIRA PERFEITA – Carina Rissi
Classificado como:                    

2 comentários sobre “MENTIRA PERFEITA – Carina Rissi

  • 18 de agosto de 2016 em 13:51
    Permalink

    Kkkkk Adorei as duas resenhas… Concordei em vários pontos com o lado Paula, pois me identifico, mas me peguei pensando as mesmas coisas que a Viviane em vários trechos. Por exemplo esse lado dele ser cadeirante e fazer coisas, que aos meus olhos leigos pareciam difíceis… Mas como a Viviane citoy, a autora deve saber o q escreve. E o que me irritou um pouco foi esse excesso de devoção da Júlia com a tia.
    Mas voltando as resenhas: Adorei essa resenha dupla… Façam mais vezes… :*

    Responder
    • 19 de agosto de 2016 em 01:22
      Permalink

      Olá Tati

      Obrigada pelo apoio parcial….kkkkkk.
      Ahhhhh a tia Berê é tão fofa. Não consegui enxergar esse exagero e a relação das duas realmente me emocionou bastaste.
      Espero que possamos fazer essas dobradinhas sempre. A Vivi é de Marte e eu sou de Vênus…..Dizem que sou o coração e ela a razão. Vai saber? serão resenhas interessantes.
      bjs bjs

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *