amos_e_masmorras_vol_1_2Em mais uma excitante série, a renomada autora Lena Valenti aborda agora as nuances do universo BDSM. Amos e Masmorras é um dos mais recentes sucessos da autora e se tornou best-seller internacional. A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços e impulsos na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano. Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa? Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa.

Título: Amos e Masmorras – A submissão
Autor(a): Lena Valenti
Série: Amos e Masmorras  

Editora: Universo dos Livros
Ano: 2015
Páginas: 416

O QUE ACHAMOS:

GÊNERO: 

RESENHA

Eu não gosto de livros com o tema BDSM, quando leio uma sinopse e vejo a sigla já sinto coceira e saio correndo. Acredito que minha aversão seja por conta de certa trilogia famosa, que por sinal não gosto, que me deixou traumatizada. Assim o tema não me agrada, não me atrai e não costumo ler. Porém esse livro foi muito bem recomendado. Como amo sair da minha zona de conforto e testar novos cenários, iniciei a leitura. E grito aos quatro cantos….ADOREI.

Cleo é Tenente em Nova Orleans, dona de uma linda cabeleira ruiva natural e olhos incrivelmente verdes, e de uma personalidade arredia e selvagem, não leva desaforo pra casa e não aceita merda de ninguém. Sonha em ir para o FBI e seguir os passos de sua irmã mais velha e seu amigo de infância Lion.

Quando menos esperava, Cleo é recrutada pelo FBI, pois sua irmã Leslie estava desaparecida e seu parceiro foi encontrado morto, desta forma teria que assumir a missão que a irmã estava trabalhando quando sumiu, tendo que se infiltrar disfarçada e acabar com uma quadrilha de tráfico humano, porém segundo as investigações, a tal quadrilha atua no cenário BDSM, mais precisamente num torneio em que casais são submetidos a uma competição baseada num jogo e precisam cumprir tarefas, sujeitando-se a provas e penalidades.

Uma bola de angustia obstruiu minha garganta, e de repente, se dobrou sobre si mesma e vomitou. Com os olhos vermelhos fixos na grama, não parava de pensar que L. estava em perigo. E se a estavam machucando? E se abusavam dela?

O cenário BDSM não me assusta, o que eu não gosto são os motivos que levaram as pessoas a prática. Porém esse livro veio para desmistificar. Provando não se tratar de válvula de escape e sim uma foram de dar e receber prazer.

Foi uma verdadeira aula sobre BDSM e sua profundidade, quando o livro acabou já estava convencida de que a prática era maravilhosa e que todos os praticantes eram plenamente felizes e satisfeitos.

Os que jogam sadiamente no BDSM não obrigam ninguém a fazer nada. Estão lá porque desejam, porque necessitam disso, e damos o que necessitam. É simples assim. Há muito tipos de corpos e mentes. Nem todos se excitam com a mesma coisa.(Lion)

Nessa primeira parte Cleo é iniciada no mundo BDSM, tendo somente 05 dias para sua preparação e assim ser inserida no torneio, tendo como parceiro o seu amigo de infância Lion, que por sinal é seu superior na missão, além de seu instrutor.

Acontece que Lion sente-se atraído por Cleo desde que se conheceram, e nutri pela parceira um amor silencioso e escondido a anos, aguardando o momento em que poderá se declarar.

Mas nunca me apaixonei por ninguém, Cleo – pronunciou seu nome como se fosse um abraço transbordante de ternura. – O coração de um amo está em uma masmorra muito perigosa, e só uma princesa com alma de dragão pode reclamá-lo. Quando entregar meu coração, o entregarei para sempre. (Lion)

Lion é incrível, a epítome do homem perfeito. Lindo, forte, olhos azuis, dominador, apaixonado, carinhoso e muito atencioso. Não preciso nem dizer que saíram faíscas desse casal…né.

A dor é uma sensação. Pode dirigi-la ao prazer ou ao sofrimento, e é nossa mão quem guia esse termômetro. E quero seu prazer. Todo ele. Não quero deixar nada para ninguém mais. (Lion)

Mas quem rouba a cena aqui é Cleo…..PUTA MERDA. A mulher é sensacional. Ela é o tipo de mocinha/protagonista que mais gosto. Sabe que é bonita, se acha incrível, tem uma língua afiada e certeira, não tem medo de dizer o que quer e pensa e tão pouco de enfrentar qualquer um. Dona da sua própria vida…..ufa. AMEI, vibrei, ri muito.

Ah…..esqueci-me de dizer que a preparação de Cleo é para ser submissa….agora imagina só meu povo, depois da descrição que dei da protagonista. Dá para imaginá-la submissa??? Não né….pois é.

Pode me bater tão forte quanto quiser. Quanto mais forte, melhor para você, verdade? Sei que as carícias e a ternura o aborrecem; e não queremos que fique adormecido no meio de um castigo. Deus não permita….(Cleo)

A escrita me deixou um pouco confusa, ora eu achava que estava sendo narrado por Lion, ora por Cleo, porém em determinados momentos havia uma aparição alien de um narrador em terceira pessoa. Sem contar que as mudanças de narrador ocorriam no meio do capítulo sem qualquer advertência. Então demorei um pouco para acostumar com isso, inclusive identificar de quem eram os pensamentos.

De modo geral o livro é muito bom, ousado, inovador, muito instigante, excitante, e me fez realmente viajar na leitura.

Quando chorar beberei suas lágrimas.(Lion)

Se recomendo? SIM

Romântica por natureza, choro, sofro e vivo as histórias e estou com uma vontade imensa de compartilhar essas emoções.

Posts Relacionados

AMOS E MASMORRAS – A SUBMISSÃO – Lena Valenti
Classificado como:                    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *