LeadComo vocalista do Stage Dive, Jimmy estava habituado a ter o que quiser, quando quiser, seja bebida alcoólica, drogas ou mulheres. No entanto, quando um desastre nas relações públicas serve como um despertar para sua vida e o leva para uma clínica de reabilitação, ele conhece Lena, sua nova assistente em tempo integral para mantê-lo longe de problemas.

Lena não está disposta a aceitar merda do sexy roqueiro e está determinada a manter seu relacionamento completamente profissional, apesar da forte química entre eles. Mas quando Jimmy vai longe demais, Lena vai embora, e ele percebe que pode ter perdido a melhor coisa que já aconteceu com ele.

Título: Lead
Autor(a): Kylie Scott
Série: Stage Dive 

Editora: Universo dos Livros
Ano: 2016
Páginas: 368

O QUE ACHAMOS:

GÊNERO: 

RESENHA

Lead é o terceiro livro da série Stage Dive, e agora é a vez de sabermos um pouco mais sobre Jimmy. Lembram dele?, Jimmy Ferris o irmão cretino de David…sim, ele mesmo, tratou Ev como lixo, que colocou um chifre em seu irmão com a detestável Marta, que teve uma overdose e ficou na reabilitação. Pois bem….

Não tinha muitas expectativas quanto a esse livro, afinal Jimmy era o mais detestável de todos. E eu muito sabiamente achava que seria impossível gostar de Jimmy. Oh….como eu estava enganada. E acabou por ser Lead, em minha opinião o melhor livro da série até agora.

Jimmy é um problema dos grandes, muita droga, muita bebida, muita confusão, muito sexo, muitas mulheres…. Mas depois de sua vergonhosa overdose e consequente internação numa clinica de reabilitação, ou o vocalista muda de vida ou estará fora da banda, pois é, o bad-boy recebeu um ultimato de seus amigos, então não lhe resta outra alternativa senão a de mudar.

Sinto muito. Eu não quero mais ninguém. Você é tudo pra mim, Lena. Nunca me senti assim com ninguém. Preciso que você saiba disso. Você tem que entender isso, ok? (Jimmy)

Daí que conhecemos Lena, a figura entra na vida de Jimmy para ser sua babá. Como assim????? Isso mesmo, sua função é acompanhar o nosso garoto problema para todos os lugares, e se certificar que ele não caia em tentação e volte a consumir entorpecentes de qualquer natureza. Parece fácil, e realmente seria se não estivéssemos falando de Jimmy e Lena.

– O que você é, um homem ou um rato? – Eu perguntei com minha voz desafiadora.

– Seu chefe.

Eu amei Lena. Seu senso de humor negro, seu sarcasmo, sua perspicácia e acidez nas palavras me renderam muitas risadas. E quando digo muitas não estou exagerando. Me diverti de montão com seus pensamentos e seus diálogos com seu protegido. O melhor era que Lena não tinha medo de Jimmy e o enfrentava…imagina só….hahahaha.

-Às vezes as coisas que fazem o mínimo sentido são a mais pura verdade. Tal é o mistério da vida. (Lena)

Ele levantou um a sobrancelha para mim, depois olhou para o menu e balançou a cabeça.

– Você tirou isso de um biscoito da sorte, não é?

– Talvez.

Jimmy é um cretino, mas aos poucos vai mostrando seu lado humano, e não demora muito para Lena estar envolvida e absolutamente apaixonada. A partir daí eu quase morri de rir. Jimmy não é o ser humano mais fácil de conviver, porém Lena rompe suas barreiras e torna-se uma constante. Sendo assim seus sentimentos não são bem vindos, logo surge um plano para que Lena possa esquecê-lo.

– Um. Você precisa sair e ver outras pessoas, você obviamente não é boa em fazer amizades, então não se preocupe, eu vou te ajudar com isso. Dois. Tente se concentrar em meus defeitos. Três. Pare de sentir pena de si mesma, carente ou com raiva. Quatro. Um grupo deles meio que enrolam em um aqui, novamente. Saia com os amigos. Tente algo novo. Fique em forma. Mime-se. Divirta-se. Aproveite a vida. Vá em uma viagem. Pinte as unhas dos pés, qualquer merda. (Jimmy)

Lógico que Jimmy quebra a cara seu plano não dá certo. Jimmy e Lena o casal mais improvável do universo de uma forma torcida acabam envolvidos.

Como nos livros anteriores, Lead é narrado pela mocinha. Eu amo, quando um livro alterna o ponto de vista. Mas confesso que um único narrador deixa a história com mais suspense e com uma expectativa gostosa do que vai acontecer. Mas a Autora poderia ter ao menos nos presenteado um capítulo com os pensamentos de Jimmy.

Kylie Scott escolheu para Lead temas mais dramáticos, e deixou para Jimmy o lado mais sombrio da fama e do rock. O mundo do Rock´n´roll não se encaixava nas personalidades de David (Lick) e Mal (Play). Sendo assim a ovelha negra teve que levar toda a carga negativa do hall da fama.

Apesar de ter passado a maior parte do tempo detestando Jimmy, ele é um detestável apaixonante e absurdamente cativante. Um paradoxo gostoso, porque mesmo quando ele age como um perfeito fdp, no momento seguinte ele tenta de uma forma Jimmy reparar o que fez de errado.

Não suporto ficar sem ter você ali, sem saber o que está pensando, o que está fazendo, não ser capaz de te contar as coisas e compartilhá-las com você. Isso só… Nada é a mesma coisa. Odeio acordar sem você e me preocupo constantemente se você está bem, se tem tudo que precisa. Olha, a verdade é que só penso em você, Lena. Você é minha melhor amiga. Você é minha garota. (Jimmy)

Não sei se são os olhos e pensamentos apaixonados de Lena, mas Jimmy é incrível. Me vi apaixonada por ele. Quem diria?????

A parte das drogas…ok. A parte de ser um cretino quase o tempo todo…ok. Mas eu não suporto mais ler livros em que o mocinho se diz não digno de amor ou que não é capaz de amar….Senhor….dai-me paciência para tanta mesmice. O lance de ele ser um super bêbado e drogado, bad boy e trazer o lado podre do rock, já era o suficiente. Não precisava acrescentar a síndrome dos renegados, indignos e impuros.

Apesar dos pontos dramáticos, dos traumas, choros, e muito desencontro, a Autora conseguiu deixar o livro com a leveza e a simplicidade dos anteriores. Nem preciso dizer que Amei o livro, amei Lena e amei Jimmy. Sou uma romântica incurável, que culpa eu tenho?

Ninguém jamais significou o que você significa para mim. Por favor, só….só volte comigo e fique. Para sempre. (Jimmy)

Ponto positivo para as aparições de Mal, mais engraçado e louco do que nunca. David que continua sensato e calmo e do killer, o cachorrinho do Mal e da Anne.

Eu esperava um final mais emocional, como foi dos anteriores, porém como estamos falando de Jimmy, a dose foi perfeita e de acordo com seu temperamento tosco. E por falar em algo tosco, eu queria bater em Jimmy pela proposta absurda que ele fez a Lena no final em meio a sua declaração, aliás, eu não sabia se ficava com raiva ou morria de rir….muito sem noção.

Foda-se o amor. Deus, eu estava tão cheia dessa merda. Não sei quantas vezes uma garota pode ter seu coração partido por um cara, mas sério, fale sobre estar acabada. (Lena)

Adorei o livro, dramático, porém com leveza, romântico e engraçado. Formula perfeita.

Se Recomento? OXIE….SIM SIM

Romântica por natureza, choro, sofro e vivo as histórias e estou com uma vontade imensa de compartilhar essas emoções.

Posts Relacionados

LEAD – Kylie Scott
Classificado como:                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *